OMEGA SPEEDMASTER: O RELÓGIO DA LUA

O Omega Speedmaster foi criado em 1957 para o segmento dos cronógrafos desportivos, ao mesmo tempo que reforçava a posição da Omega – ainda hoje presente – como timekeeper oficial dos Jogos Olímpicos. O seu nome deriva da estratégia de naming da Omega (Seamaster, Speedmaster, Railmaster), devendo-se o nome Speedmaster à escala taquimétrica incorporada no aro, que permite medir velocidades médias.

Poucos anos depois entramos na era das missões tripuladas ao Espaço e a NASA estava a preparar-se para as missões Gemini (com dois homens) e Apollo (com três homens), que implicavam a saída das naves espaciais, e um relógio conseguisse suportar as enormes exigências do Espaço.

Assim sendo, a NASA adquiriu relógios de diversas marcas conceituadas, e submeteu-os a uma bateria de exigentes testes de qualificação, que compreendiam altas e baixas temperaturas, choques de temperatura, pressão, humidade, oxigénio, impactos violentos, aceleração, descompressão, alta vibração, e ruído acústico. No final dos testes, já em 1965, o Omega Speedmaster superou todos os outros relógios.

James Ragan, engenheiro responsável pelos testes, explicou que o relógio era um backup: se os astronautas perdessem a capacidade de comunicação com a Terra, se os instrumentos digitais avariassem na superfície lunar, a única coisa em que poderiam confiar era no seu Omega Speedmaster. Todo este processo foi executado sem conhecimento da Omega, pelo que não foi nenhuma acção de marketing concertada com a NASA. O Speedmaster notabilizou-se apenas por ser o melhor relógio para as missões da NASA.

Curiosamente, a Omega só tomou conhecimento da escolha do seu relógio através de uma fotografia do astronauta Ed White tirada durante o primeiro passeio no Espaço, na missão Gemini 4, em Junho de 1965, em que o Speedmaster estava preso ao pulso com uma longa correia em velcro preto, por cima do fato espacial (correia que actualmente vem incluída no estojo do relógio). Após esta descoberta, a Omega acrescentou o nome “Professional” ao Speedmaster.

Em Julho de 1969, um dos mais célebres acontecimentos do Século, o Homem chega à Lua. Neil Armstrong foi o primeiro a pisar a superfície lunar mas, por precaução, deixou o seu Omega Speedmaster no interior do vaivém visto que o sistema electrónico deste não se encontrava a funcionar bem e poderia precisar do relógio como precioso backup. 19 minutos depois, junta-se a ele Buzz Aldrin, e o Omega Speedmaster Professional torna-se o primeiro relógio na Lua.

Pouco depois, a Omega começa a incluir no fundo do relógio as seguintes inscrições: The first watch worn on the moon eFlight qualified by NASA for all manned space missions.

O Speedmaster foi particularmente útil na missão Apollo 13: deu-se uma explosão a bordo após uma falha eléctrica, e a tripulação teve que ser evacuada para a pequena cápsula lunar Aquarius para poupar energia. O piloto Jack Swigert teve então de utilizar o Speedmaster Profissional para calcular os 14 segundos de engine boost para colocar o vaivém no ângulo correcto de entrada na atmosfera.

Jack Swigert

A Omega foi então agraciada pela Omega com o Snoopy Award pela dedicação, profissionalismo e extraordinária contribuição no apoio às primeiras missões tripuladas da NASA.

Actualmente o Speedmaster é um dos mais icónicos relógios da História, presença obrigatória em qualquer colecção de relógios e tem uma legião de fãs e coleccionadores das suas inúmeras versões e edições especiais de celebração. Conheça a colecção Speedmaster aqui.